22/12/2016

Livros lidos em 2016

Hallo! Cá estou eu novamente para encher vossas paciências, leitores (se é que alguém ainda lê o UNA depois de todo esse tempo sem nada novo -q). Como já dá para saber no título, a postagem de hoje é sobre os livros que andei lendo esse ano (não me diga!). Apesar de toda a falta de tempo que esteve a pegar no meu pé sem parar, ainda consegui terminar uns cinco livros diferentes e acho que seria interessante compartilhar algo a respeito deles por aqui. A princípio eu gostaria de escrever resenhas separadas, mas penso que ficaria um tanto quanto repetitivo ver os mesmos tipos de postagem por aqui, então vai tudo junto mesmo -q.
Enfim, sem mais enrolações e chatices do tipo, cliquem nesse maravilhoso e raríssimo espécime de leia mais selvagem (?) e tenham uma boa leitura! 
1Q84 (Livro I) - Haruki Murakami
"Duas histórias em paralelo se cruzam numa história cheia de mistério e eventos surreais. De um lado, Aomame, uma assassina profissional, suspeita estar em um mundo paralelo. De outro, Tengo, um aspirante a escritor, se envolve com um projeto de reescrver um livro misterioso."

Já fazia algum tempo que eu estava pensando em ler esse livro (tanto até que se bem me lembro, mencionei isso em uma postagem de 2015) e no começo deste ano consegui fazer isso e tirar mais um de muitos livros da minha lista de leitura quilométrica -q. A história de 1Q84 é repleta de mistérios, cujos quais te deixam com muitos questionamentos em mente e muita curiosidade para saber o que irá acontecer, entretanto infelizmente -e obviamente- não teremos muitos esclarecimentos a respeito de tudo logo no primeiro livro, uma vez que esta obra de Murakami é uma trilogia.
Assim como nos demais livros deste autor, o seu jeito especialmente único de narrar a história (particularmente falando, acho que a narrativa de Murakami tem uma essência própria) me fez ficar cada vez mais presa ao livro, mesmo apesar de eu ter ficado certamente entediada em alguns momentos enquanto lia -vi-me falando "que enrolação!" algumas vezes-, mas isso não é um menos quanto a minha avaliação sobre o livro, já que ele realmente vale a pena ser lido.
Outra coisa que gostei muito de ver em 1Q84 são as referências a outros livros, o que achei especialmente interessante. Durante o decorrer da história podemos ver referências a livros como 1984 e citações do livro "A Ilha de Sacalina", de Theckhov (que por acaso também está na minha lista de leitura -q).
Enfim, 1Q84 é uma boa leitura. Se gostar de muitos mistérios, essa é com certeza uma excelente opção e tenho quase certeza que os outros dois livros (cujos ainda preciso ler) que compõem a trilogia serão tão interessantes quanto o primeiro.

Crime e Castigo - Fiódor Dostoiévski
Roubei a foto daqui: (www)
"Publicado em 1866, Crime e Castigo é a obra mais célebre de Fiódor Dostoiévski. Neste livro, Raskólnikov, um jovem estudante, pobre e desesperado, perambula pelas ruas de São Petesburgo até cometer um crime que tentará justificar por uma teoria: grandes homens, como César e Napoleão, foram assassinos absolvidos pela História. Este ato desencadeia uma narrativa labiríntica que arrasta o leitor por becos, tabernas e pequenos cômodos, povoados de personagens que lutam para perservar sua dignidade contra as várias formas da tirania."


Pensem num livro bom. Pensem num livro cujo qual você não consegue largar enquanto não tiver terminado de ler. Esse livro é Crime e Castigo. Esta obra é uma das quais eu mais gostei de ler em muito tempo, tanto até que acabou se tornando um dos meus livros favoritos. Quando terminei de ler Crime e Castigo, fiquei até com aquele vazio existencial que temos após lermos um livro ótimo -q.
Nada me desagradou neste livro, sinceramente. A narrativa me prendeu do início ao fim, uma vez que é muito bem descrita e repleta de detalhes, uma coisa que gosto muito de ver quando estamos a falar de livros e afins. A atmosfera que temos em Crime e Castigo também deve ser citada aqui, uma vez que esta é sombria a seu próprio modo e carregada de tensão através da trama, o que é absolutamente um belo de um ponto positivo da obra. Às vezes as coisas ficam tão sérias que podemos sentir até mesmo uma certa "ansiedade" para saber o que ocorrerá, já que Crime e Castigo é uma grande sucessão de eventos e mais eventos que surpreendem o leitor cada vez mais.
Uma das surpresas que tive com esse livro é como tudo ocorre. Não falarei em muitos detalhes a respeito disso (pois acho que chega até a ser algum tipo de spoiler -q), mas devo mencionar que fiquei realmente surpresa com o fato de que as coisas não aconteceram do jeito que eu imaginei que aconteceriam, o que foi bem inesperado e interessante.
Outra coisa que devo citar a respeito do livro são os personagens. Meu deus, os personagens. Cada um deles tem a sua própria personalidade, suas vidas e seus problemas, tanto até que durante o livro não ficamos centrados apenas no protagonista, o que é excelente. Alguns podem achar entediante tratar dos problemas e da vida dos demais personagens do modo que foi feito em Crime e Castigo, entretanto achei este um ponto forte da história, afinal não é algo irrelevante e isso mostra como os outros possuem a sua importância na trama. É sério, nenhum personagem é posto inutilmente durante a história.
E já que estamos falando dos personagens vamos abrir um parágrafo especial ao protagonista de toda a história, o Raskólnikov. Ele é um dos protagonistas que mais gostei em algum livro, sem dúvidas. A sua personalidade, a sua "loucura" e sua maneira de pensar são coisas que nunca havia visto antes em algum personagem. Há momentos em que ele pode ser extremamente gentil, mas também pode ser cruel. Ele pode estar normal, mas também caminhar diretamente para sua muito única forma de loucura. Ele pode estar acordado, mas também pode e vai desmaiar (porque Raskólnikov é o maior desmaiador que você respeita, desculpe mas não resisti -q). Outra coisa que gostei muito a respeito dele é como ele desenvolveu uma teoria a respeito de pessoas "ordinárias" e "extraordinárias", e tentará justificar seu ato criminoso com ela. E ah, a teoria dele é realmente muito interessante -q.
Enfim, Crime e Castigo é sem dúvidas um livro que está mais do que recomendado. Este é um livro que precisa ser lido pelo menos uma vez na vida, porque ele é uma verdadeira obra de arte e é único a seu próprio modo.

1984 - George Orwell
"Romance distópico clássico do autor britânico George Orwell. Terminado de escrever no ano de 1948 e publicado em 8 de Junho de 1949, retrata o cotidiano de um regime político totalitário de modelo comunista. No livro, Orwell mostra como uma sociedade oligárquica é capaz de reprimir qualquer um que se opuser a ela."


Considerado um dos melhores livros escritos por George Orwell, 1984 é um daqueles livros que de também devem ser lidos pelo menos uma vez na vida. Neste livro somos apresentados a uma grande distopia modelada no comunismo (tal como dito na sinopse) e entendemos como é a vida dentro da realidade medonha do livro a partir de Winston Smith, um homem comum que trabalha com a falsificação de coisas como documentos e literatura, para que o governo sempre pareça estar certo.
Uma das caracteristicas marcantes deste livro é como tudo e controlado na sociedade distópica de Oceania. Ali, tudo é controlado e observado. Os seus atos, o que faz e o que fez. Tudo isso ocorre para que não haja chances de qualquer cidadão se movimentar contra o sistema que impera, pois uma vez que algo suspeito é encontrado a punição é certeira. Como é dito no livro, "O Grande Irmão está sempre de olho em você".
Durante todo o livro me lembrei muito de nossa sociedade atual (com toda a vigilância que temos hoje em dia, embora obviamente nem chegue aos pés do que ocorre em 1984) e também do stalinismo, principalmente por conta das figuras do Grande Irmão e Goldstein (que é considerado um traidor, tal como Trotsky).
O fato de o livro me lembrar bastante de política e do mundo real a certo modo prendeu-me bastante a história, sem dizer que a curiosidade que eu tinha para saber qual seria o final de tudo aquilo me fez não largar o livro enquanto eu não tivesse terminado de lê-lo -q. 
Enfim, 1984 também é um livro que com certeza está mais do que recomendado. Quando falamos de distopias, essa sem dúvidas é uma leitura quase obrigatória. 

Almas Mortas - Nikolai Gógol
Yune avaliando o livro -q.
"Escrito em 1841, Almas Mortas conta a história de um aventureiro que compra, a baixo preço, os camponeses russos mortos desde o último censo, mas ainda vivos nas listas do fisco. Uma trapaça que permite traçar um panorama da vida da província e um esboço do homem russo por inteiro, pelo seu lado negativo. Gógol escreveu um segundo volume da obra, mas em um momento de angústia acabou queimando-o. A segunda parte, inacabada e póstuma, foi publicada em 1852."


Este livro foi recomendado a mim pelo meu professor de história e, sinceramente, acho que foi uma das melhores sugestões de leitura que já recebi. O propósito de Almas Mortas é mostrar as falhas do caráter e mentalidade russa a partir do protagonista Tchítchicov e aqueles que ele encontra no decorrer da história. Após alguma leitura a respeito do livro, também descobri que ele é uma crítica a respeito do sistema semi-feudal presente na Rússia durante aquela época, o que é muito interessante.
Gostei muito de ler Almas Mortas principalmente pelo fato de que, a certo modo, podemos conhecer um pouco a respeito de como eram as coisas na Rússia naquela época, se considerarmos que este livro -como eu havia dito antes- é uma crítica ao sistema da época. Tenho gosto por livros deste tipo -apesar de não ter lido quase que absolutamente nada acerca de coisas assim-, pois sempre podemos entender melhor outros tempos e os problemas que ali haviam.
Outra coisa que me chamou especialmente a atenção em Almas Mortas foi a escrita. Não faço a mínima ideia se é por o livro ser um tanto quanto velho -acredito eu-, mas a escrita é simplesmente maravilhosa. Se há uma coisa que eu gosto, é boa escrita e Almas Mortas não falha nesse quesito. A cada página que lia lá estava eu comentando para mim mesma o quanto eu estava gostando de como tudo parecia estar perfeitamente bem escrito -q. É maravilhoso, sem mais.
Enfim, este livro pode parecer uma leitura um tanto quanto pesada de primeira (e de fato, é um pouco), mas isso não o faz ser menos recomendado. Almas Mortas é uma leitura muito interessante, mesmo que esta seja uma obra incompleta.

Uma Breve História do Tempo - Stephen Hawking
Roubei a imagem daqui: (www)
"De onde vem o Cosmos e para onde vai? O universo teve começo? Nesse caso, o que aconteceu antes? São algumas das inúmeras questões básicas que o autor responde neste livro, em termos simples e acessíveis, esmiuçando ao mesmo tempo as pesquisas contemporâneas das leis que nos permitirão entender mistérios ainda insolúveis."

Esse livro também foi uma recomendação feita a mim e, sinceramente, foi igualmente boa. Já havia ouvido falar a respeito de Uma Breve História do Tempo algumas vezes, entretanto nunca havia pensado em lê-lo até que falaram para eu ler -q.
Em Uma Breve História do Tempo, Hawking nos guia através dos mais incríveis e interessantes mistérios do universo, falando a respeito de questões básicas acerca do mesmo e até um pouco mais adiante, de uma forma que é totalmente interessante e simples para o leitor. O livro também vem acompanhado de algumas ilustrações, que podem ser bastante úteis a quem o lê.
Este livro é um verdadeiro prato cheio para aqueles que têm algum interesse a respeito do universo em geral, mas que, entretanto, não têm um conhecimento enormemente vasto a respeito do assunto. Ele é um perfeito começo para quem busca saber um pouco mais a respeito do assunto, sem dúvidas. Uma Breve História do Tempo tem uma explicação das coisas totalmente longe de ser maçante e pesada, o que é especialmente ótimo.
Uma Breve História do Tempo também é interessante de ser lido também por aqueles que já tem um certo conhecimento a respeito do que é tratado no livro, pois a abordagem é bastante interessante e é sempre bom ler de novo a respeito de algo cujo já temos uma certa noção. Tenho um certo conhecimento a respeito do que é tratado ali e, sinceramente, tive animação para ler tudo aquilo como se estivesse vendo pela primeira vez. Uma Breve História do Tempo é simplesmente excelente.
Enfim, este livro também está mais do que recomendado. Seja você um interessado a respeito do universo ou não, Uma História do Tempo também é um daqueles livros que valem ser lidos pelo menos uma vez na vida, porque é realmente muito bom em suas explicações e também ajuda a dar um certo fundamento a aqueles que desejam se aprofundar um pouco mais no assunto.

E é isso, pessoal! Se você leu até aqui, meus parabéns -q. E ah, espero que tenham gostado desta postagem! Até logo. 

2 comentários:

  1. Oiee tia Nyu!

    Eu simplesmente a-do-re-i seu novo layout, ficou muito artístico e alguma forma, bem clássica!
    Não sabia que vc gostava das obras do Caravaggio e realmente ficou um show o blog!!!

    p.s.: Feliz Natal!
    Kiss!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Fico feliz que tenha gostado do layout novo do blog! Pessoalmente gostei do resultado final, também.
      Gosto muito das obras do Caravaggio! Para falar bem a verdade, ele é um dos meus artistas favoritos. Obrigado!

      Feliz Natal!

      Excluir

Comente,comentários incentivam quem traz o conteúdo mais sem sentido para esse blog! Gostamos de saber a sua opinião ou apenas ler o que vocês têm a dizer!
Ninguém nunca segue isso,mas por favor,sem comentários ofensivos ou grosseiros. Críticas são bem vindas,se forem construtivas.